Publicado por: diegorsantos | 27/08/2011

Habilitar recurso de enumeração de linhas no vim

aptitude install vim-full -y

echo “syntax on” >> /etc/vim/vimrc

echo “set number” >> /etc/vim/vimrc

Publicado por: diegorsantos | 27/08/2011

RFCs do protocolo SMTP

• RFC 2821 SMTP protocol (evolução da antiga 821 e 822)

• RFC 2822 ARPA Internet Text Messages

• RFC 1651 SMTP service extensions

• RFC 1652 8bit-MIME transport

• RFC 1870 Message Size Declaration

• RFC 2033 LMTP protocol

• RFC 2034 SMTP Enhanced Error Codes

• RFC 2045 MIME: Format of Internet Message Bodies

• RFC 2046 MIME: Media Types

• RFC 2554 AUTH command

• RFC 2821 SMTP protocol

• RFC 2920 SMTP Pipelining

• RFC 3207 STARTTLS command

• RFC 3461 SMTP DSN Extension

• RFC 3463 Enhanced Status Codes


					
Publicado por: diegorsantos | 16/07/2011

Encaminhando email para servidores externos com sSMTP

Caso você necessite enviar e-mail de algum servidor Linux e não queira gastar tempo configurando um servidor MTA (Mail Transfer Agent) como Postfix e Sendmail, uma solução eficiente e segura é a utilização do sSMTP, que é um MTA simples usado para encaminhar emails para servidores SMTP.

Para instalar o sSMTP em distribuições baseadas em Red Hat você pode utilizar o repositório EPEL (Extra Packages for Enterprise Linux), veja como realizar a intalação do repositório EPEL clicando aqui

Para instalar o pacote sSMTP utilize o gerenciador de pacotes yum, assim como abaixo:

# yum install ssmtp -y

Edite o arquivo de configuração “/etc/ssmtp/ssmtp.conf” e altere os campos, assim como abaixo:

# vim /etc/ssmtp/ssmtp.conf

#
# /etc/ssmtp.conf — a config file for sSMTP sendmail.
#

# Nome FQDN do servidor SMTP
mailhub=smtp.seudominio.com.br

# Nome FQDN do domínio
Hostname=seudominio.com.br

# Usuário e senha
AuthUser=email@seudominio.com.br
AuthPass=suasenha

# Aumenta o nível de detalhamento dos logs
Debug=YES

Agora que você instalou e configurou o sSMTP altere o MTA padrão de sua distribuição para o sSMTP, assim como abaixo:

# alternatives –config mta 

Faça o teste de envio de e-mail e acompanhe os logs, assim como abaixo:

# echo “Envio com sSMTP” | mail -s “Teste sSMTP” seuemail@seudominio ; tail -f /var/log/maillog

Publicado por: diegorsantos | 11/07/2011

CentOS 6.0 finalmente disponível !!!

Segue o post oficial da equipe do CentOS informando a disponibilização da aguardada versão 6. Leia o post no site oficial http://www.centos.org

CentOS 6 Releases
The CentOS team is pleased to announce the immediate availability of CentOS-6.0 for i386 and x86_64 Architectures.CentOS-6.0 is based on the upstream release EL 6.0 and includes
packages from all variants. All upstream repositories have been combined into one, to make it easier for end users to work with.

There are some important changes to this release compared with the previous versions of CentOS and we highly recommend reading this announcement along with theRelease Notes.

There are no CD images being released with CentOS-6, however we have some CD variants in the pipeline.

Since upstream has a 6.1 version already released, we will be using a Continous Release repository for 6.0 to bring all 6.1 and post 6.1 security updates to all 6.0 users, till such time as CentOS-6.1 is released itself.

LiveCDs and LiveDVDs for i386 and x86_64 will be released the
next few days. These will bring in the ability to directly install from the live media.

There will also be a minimal install CD, that would bring up a base
machine with just enough content to have a usable platform.

In order to bring back the CentOS-4 Server CD style single iso image, an LWS variant of the main distro will be created.

And now: Have fun.

Release Notes: CentOS
Download: i386 | x86_64

 

Publicado por: diegorsantos | 08/07/2011

Redefinir senha de root do Mysql

Caso necessite redefinir a senha de root do Mysql, siga os passos abaixo.

1. Pare o servico do Mysql com o comando.

# /etc/init.d/mysql stop

2. Inicie o Mysql com a opcao –skip-grant-tables para permitir conexao sem senha e com privilegios, e com a opcao –skip-networking para impedir que clientes remotos se conectem.

# mysqld –skip-grant-table –skip-networking &

3. Faça login no Mysql com o usuário root

# mysql -u root mysql

4. Substitua o campo NEWPASSWORD por sua nova senha e a redefinicao da senha de root estara concluida.

# UPDATE user SET Password=PASSWORD(‘NEWPASSWORD’) WHERE User=’root’; FLUSH PRIVILEGES; exit;

5.  Reinicie o Mysql em modo normal e realize o acesso com a nova senha.

# /etc/mysqld restart ;  mysql -u root -p NEWPASSWORD

Publicado por: diegorsantos | 02/06/2011

CFG2HTML – Inventário completo para plataformas Unix e Linux

o Cfg2html é uma coleção de shell script para plataformas Unix e Linux que cria uma documentação completa de forma detalhada e organizada de
todo hardware e software em formato HTML e txt.

O Cfg2html pode ser executado como um script ou instalado utilizando o binário,veja abaixo como utilizar e realizar o download do Cfg2html .

Para realizar o download e descompactar
#cd /root/; wget http://www.cfg2html.com/cfg2html-linux-1.98-20110711_all.zip
#unzip cfg2html-linux-1.97-20110420_all.zip

Para realizar a instalação e executar o cfg2html em sistemas baseados em RedHat, os arquivos com as informações serão gravadas no próprio corrente, no formato hostname.html, hostname.txt e o arquivo hostname.err.
#rpm -ivh cfg2html-linux-1.97-1.noarch.rpm
#cfg2html

Para executar o Cfg2html como um script, veja que os arquivos com as informações serão gravadas no próprio diretório onde o script foi executado, no formato hostname.html, hostname.txt e o arquivo hostname.err.
#tar -zxvf cfg2html-linux_1.97-1.tar.gz
#cd cfg2html-linux-1.97; ./cfg2html-linux

Para obter maiores informações sobre a documentação acesse o link

Este comando funcionara em uma instalação Completa ou Server Core do Windows Server 2008.

Netdom join nomedocomputador /domain:nomedodominio /user:nomedeusuario /password:*

Publicado por: diegorsantos | 02/06/2011

Instalando e configurando o DDNS da Winco no Linux

Instalação do agente DDNS para o Linux:

Faça download do Cliente DDNS Linux na página de download do DDNS.

Antes de fazer a instalação no Linux, é necessário fazer o cadastro do domínio  clicando aqui

Apenas as opções de Criação de Dominio e Recuperação de Senha são válidos para o DDNS para Linux, visto que ele usa o mesmo assistente de configuração do windows e algumas opções são desnecessárias para o Linux.

Não é necessário confirmar a senha no final do processo, visto que a senha será inserida no arquivo ddns.sh abaixo.

Caso 1: Não possui endereço IP Fixo e não está atrás de um NAT.

1) Os programas de DDNS devem ser instalados no diretório /usr/local/sbin. Se esse diretório não existir, ele deve ser criado. Após a criação do mesmo, execute o comando:

cd /usr/local/sbin

tar zxf ddns-linux-1.1.tgz

2) Edite o arquivo /usr/local/sbin/ddns.sh e configure as seguintes linhas:

DOMINIO=”seudominio.winconnection.net”    #Seu end. DDNS (ex.: meuendereco) ou “seudominio.ddns.com.br”  #Seu end. DDNS

SENHA=”xxxxxxxxxx”       #A sua senha para o domínio

INTERFACE=”ppp0″    #Coloque aqui o endereco correto da interface de rede Ex.: ppp0, eth0, etc

3) Crie as seguinte entradas no crontab do root  (usando crontab -e ) da seguinte forma:

*/1 * * * * /usr/local/sbin/ddns.sh

0,30 * * * * /usr/local/sbin/ddns-refresh.sh

Pronto. O DDNS For Linux está pronto para ser usado.

Publicado por: diegorsantos | 27/03/2011

Backup profissional com Bacula

Caso você necessite implementar em um cenário corporativo uma solução profissional de backup com software open source, o Bacula oferece ferramentas de gerenciamento de backup e restauração de dados de alto nível a plataformas Mac OS, Unix, Linux e Windows e possui suporte a diversos dispositivos de armazenamento como discos rígido e fitas magnética.

Neste artigo você vera uma breve descrição do funcionamento do Bacula, de como os seus serviços são divididos e acompanhara a instalação e configuração em um cenário real baseado em rotinas de backup com a utilização de discos usb.

Veja que no gráfico abaixo podemos acompanhar visualmente o funcionamento do Bacula.

O Bacula e dividido em três aplicações, sendo elas o bacula-dir (Director), bacula-sd (Storage) e bacula-fd (File).

Bacula Director Daemon – Pode ser considerado o centro nervoso do Bacula, pois e a aplicação responsável por iniciar os agendamentos, autenticar as conexões de rede e realizar as tarefas de backup e restauração de dados.

Bacula Storage Daemon – Pode ser considerado o coração do Bacula, pois e a aplicação responsável por armazenar em disco rígido ou fita magnética os dados de backup.

Bacula File Daemon – Pode ser considerado o corpo do Bacula, pois e a aplicação responsável pela leitura, escrita e verificação dos arquivos a serem realizado as rotinas de backup e restauração de dados.

O Bacula necessita de um banco de dados para armazenar os índices de arquivos e bancos de dados dos volumes, permitindo a rápida localização e recuperação dos arquivos. São suportados três diferentes bancos de dados pelo Bacula, são eles MySQL, PostgreSQL e SQLite.

A administração do Bacula e realizada por uma aplicação chamada Console, que permite a comunicação com o Director, existem três versões do Console, sendo elas o bconsole que e a versão em modo texto, e as versões gnome-console e wx-console para o modo gráfico. Ferramentas Web como o Webacula também estão disponíveis para tornar a administração do Bacula, mas fácil e pratica.

Agora que você conhece as funções do Bacula o processo de instalação e configuração ficara bem mais fácil.

Publicado por: diegorsantos | 27/02/2011

Repositório EPEL (Extra Packages for Enterprise Linux)

O projeto EPEL (Extra Packages for Enterprise Linux) e baseado em trabalho comunitario voluntario apoiado pelo projeto Fedora para criar um repositorio de alta qualidade para complementar distribuicoes baseadas em Red Hat Enterprise Linux como Fedora e CentOS.

Existem pacotes RPM do repositório EPEL para RHEL4, RHEL5 e RHEL6. Para instalar o repositorio EPEL execute em um prompt de comando os seguintes comandos.

#su -c ‘rpm -Uvh http://download.fedora.redhat.com/pub/epel/5/i386/epel-release-5-4.noarch.rpm’ ; yum update -y

Para obter maiores informações sobre a documentação e realizar o download do EPEL (Extra Packages for Enterprise Linux) acesse o link

Older Posts »

Categorias